Qual o impacto da tecnologia autônoma nas empresas?

A transformação digital é um fenômeno que não tem fim! Conforme novas ferramentas e recursos vão surgindo, as organizações precisam se adaptar para não ficarem de fora da realidade do mercado. 

Esse é um dos principais impactos da tecnologia autônoma nas empresas.

Ser autônomo não significa executar algumas tarefas sozinho, mas sim fazer atividades, que antes necessitavam de um ser humano as conduzindo. A tecnologia encurta os caminhos e faz com que as empresas possam ter processos cada vez mais otimizados.

Em suma, com a tecnologia autônoma nas empresas, os colaboradores deixam de realizar tantas tarefas operacionais, e passam a focar mais na estratégia. É por isso que conhecer sobre os impactos que essas ferramentas proporcionam é tão importante.

Veja 5 exemplos de tecnologia autônomas nas empresas

A seguir, apresentaremos alguns dos principais exemplos da tecnologia autônoma nas empresas. Confira e veja como o futuro já começou no meio empresarial!

1. Inteligência artificial

A inteligência artificial é um ramo das ciências da computação, que tem como objetivo fazer com que os computadores possam simular o raciocínio humano. Isso quer dizer que, por meio de estímulos, as máquinas podem entender situações e tomar decisões, sem que seja necessário um agente humano no centro das operações.

Isso pode ser visto em diversos recursos já disponíveis no meio empresarial, como os chatbots. São robôs inteligentes, que conseguem responder perguntas dos usuários em chats nas redes sociais ou em aplicativos mensageiros, como o WhatsApp.

Os chatbots conseguem interpretar as perguntas feitas pelos usuários e oferecer respostas programadas. Um restaurante, por exemplo, pode programar os robôs para que respondam questionamentos comuns feitos pelos clientes, como o valor do buffet e quais são os pratos do dia, por exemplo.

2. Machine learning

O machine learning é um tipo específico de inteligência artificial. O conceito parte do pressuposto que, além de executarem algumas funções de forma autônoma, os robôs também podem ter a capacidade de aprenderem coisas novas, por meio de estímulos.

Os programas de informática desenvolvidos com essa tecnologia são equipados com uma espécie de redes neurais, assim como o cérebro humano. A ideia é que, pela metodologia de tentativa e erro, se aprendem coisas novas,

Exemplo disso pode ser visto nas recomendações de conteúdo de plataformas de streaming, como a Netflix. Se um usuário assistir a alguns filmes de suspense, por exemplo, o algoritmo entenderá que esse é o seu gênero preferido e mostrará outros títulos que podem ser atraentes, tornando o serviço cada vez mais exclusivo.

3. Softwares de gestão

Os softwares de gestão também são exemplo do uso da tecnologia autônoma nas empresas. Por meio desses programas, podem ser criados workflows de trabalho, que facilitam muito o dia a dia nas organizações.

Pense, por exemplo, no departamento de compras de uma empresa de grande porte. Para adquirir um lote de matérias-primas extras, pode ser que o comprador necessite a autorização de superiores, como o gestor de compras, algum responsável pelo setor financeiro, o presidente da companhia etc.

Com um software de gestão autônomo, o comprador pode criar um workflow, para que todos os pedidos de compra passem por essa hierarquia. Assim, sempre que ele lançar uma nova demanda, ela vai passando automaticamente para a próxima etapa de autorização, sem que seja necessário fazer comunicados internos ou dar telefonemas, que demandam muito tempo de trabalho.

4. Transporte autônomo

Embora ainda pareça algo que estará disponível apenas em um futuro distante, já existem muitas montadoras de automóveis fazendo pesquisas e desenvolvendo carros autônomos. Isso tende a ganhar ainda mais força com o avanço da internet 5G.

A ideia é que os carros autônomos possam ser programados para fazer os percursos sozinhos, sem a necessidade de um motorista. Isso deve revolucionar a forma como a logística das empresas conduz as suas atividades, tendo em vista que as entregas poderão ser feitas mais rapidamente na casa ou organização dos clientes.

5. Lojas de conveniência autônoma

Uma tecnologia que já é realidade em muitas cidades brasileiras são as lojas de conveniência autônoma, que podem ser localizadas nas empresas, para facilitar o dia a dia dos colaboradores, clientes e outras pessoas que passarem pelos locais.

Tratam-se de lojas em que o consumidor faz tudo sozinho, realizando as compras sem a necessidade de interagir com outras pessoas, apenas com recursos tecnológicos. Para isso, é necessário baixar um aplicativo no celular.

O aplicativo gera um QR Code que dá acesso à loja. Depois, usando o mesmo app, o cliente escaneia o código de barras dos produtos que deseja adquirir, colocando-os em um carrinho de compras virtual. Ao final, basta fazer o pagamento, por meio de um cartão de crédito cadastrado.

As lojas de conveniência autônoma são ideais para que os colaboradores das empresas possam fazer refeições no local. Isso porque eles podem comprar alimentos rapidamente, nos horários de intervalo do trabalho. Assim, não é preciso ir até o mercadinho ou a padaria próximo à companhia, o que consome boa parte do período de folga.

De tal maneira, os colaboradores descansarão mais e serão mais produtivos para as atividades de trabalho. Todos saem ganhando com o uso desse tipo de tecnologia.

Esses são alguns dos exemplos de tecnologia autônoma nas empresas! Eles trazem um impacto muito positivo para as organizações e vale a pena apostar nesses recursos para otimizar o trabalho e acompanhar a evolução tecnológica.

Gostou deste artigo? Então o convidamos a baixar o e-book “Onii: guia completo”, que traz todas as informações necessárias para você conhecer mais sobre o mercado de lojas de conveniência autônomas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close Bitnami banner
Bitnami